Pix Cobrança

Quem acredita que o Pix Cobrança poderá substituir o Boleto?

Boa pergunta!

O boleto existe desde outubro de 1993, ou seja já tem quase 28 anos. De lá para cá já mudou bastante, porém ainda continua sendo a melhor opção de cobrança para 75% dos consumidores no Brasil (*).

Por ano são emitidos aproximadamente 3,6 bilhões de boletos, que demonstra a ampla aceitação deste meio de pagamento pelos Brasileiros (*).

Em 2020 o Banco Central lança o Pix, que é o pagamento instantâneo do Brasil.

Agora, em 2021, acaba de lançar o Pix Cobrança.

Pix Cobrança

Hoje, quem tem acesso ao Pix, pode gerar um QRCode Dinâmico ou Estático para realizar uma cobrança.

Os QRCodes Dinamicos gerados atualmente são para pagamentos imediatos.

O novo Pix Cobrança poderá ter data de vencimento e vai permitir, por exemplo a cobrança de juros e multa caso o pagamento ocorra após essa data.

Exemplo:

Pix Cobrança Teste
QR de homologação – pode não funcionar com seu aplicativo de Banco.
Pix copia e cola: 00020126990014br.gov.bcb.pix2577qr-h.sandbox.pix.bcb.gov.br/rest/api/v2/cobv/0d91620a82f94bf186e1942a935b411b5204000053039865802BR5903Pix6008BRASILIA62070503***63045E0E

Desta forma o Pix Cobrança se torna uma grande alternativa ao Boleto, contudo existem algumas diferenças que listo abaixo.

CaracterísticaBoletoPix Cobrança
Pagamento com dinheiro em espécieSimNão
DisponibilidadeDias úteisQualquer dia e horário
Pagador off line (sem internet)SimNão
Recebimento dos recursos (para recebedor)Até 3 dias úteisImediato
NotificaçãoNão há aviso quando a transação é feitaPagador e recebedor são avisados sobre a transação
Registro (do pagador)SimNão
TarifasPagador – R$ 3,00 e R$ 8,00Pagador e Recebedor ainda sem valor definido
Obrigatório o pagador ter conta transacional (corrente, pagamento etc)NãoSim
Muitas funcionalidades estão disponíveis para o Pix Imediato e também para o Pix Cobrança.
Alguns PSPs podem criar produtos combinando funcionalidades do Boleto com o Pix.

Em contrapartida, a opção de cobrar com Pix para os ecommerces é muito mais atrativa, tendo em vista que a confirmação do pagamento pode ser imediata o que permite que o ecommerce simplifique sua gestão de estoque, uma vez que não vai precisar ‘travar’ o estoque até a confirmação do pagamento, que para Boleto pode acontecer em até 3 dias.

Enquanto o boleto é uma forma de pagamento, digamos – democrática e acessível, porque permite que qualquer pessoa realize o pagamento utilizando dinheiro em espécie, o Pix Cobrança depende do pagador ter uma conta transacional.

Por outro lado, de acordo com o BC (Banco Central), 9,8 milhões de pessoas iniciaram relacionamento com alguma instituição financeira de março/20 até final de 2020.

Portanto, ainda precisamos de tempo para saber como o Pix Cobrança irá modificar a forma como cobramos e quem sabe, em alguns anos, o bom e velho Boleto, seja de fato aposentado.

(*) Os dados são do E-commerce Brasil em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Visa Ready

A BPP historicamente sempre foi parceira Visa para lançamentos de inovação, em 2016, nos Jogos Olímpicos do Brasil, fizemos as inovações de: cartão virtual para compra de ingressos olímpicos, cartões NFC para pagamento dos voluntários, emissão da conta o relógio Swatch Bellamy, ‘wearables’ de pagamento – pulseira….

Agora a BPP é Visa Ready, que significa que pode fornecer soluções seguras que cumprem os padrões de pagamentos Visa.

BPP é Visa Ready para o modelo Bin Sponsor. https://partner.visa.com/site/partner-directory/bpp.html

O modelo de Bin Sponsor, com Visa Ready segue três pilares.

Compliance

Para ter sucesso no mundo das finanças, a inovação deve andar de mãos dadas com a legislação. É necessário tempo, dinheiro e recursos para desenvolvimento de produtos que, no final do dia, precisam seguir os requisitos da regulamentação vigente.

BPP está comprometida e também sabe fazer o que é certo, seguindo todos os requisitos legais. Isto significa que os produtos finais estarão aderentes as leis vigentes.

Preço

Preço é sempre uma consideração importante e a BPP pode ajudar para que seu produto seja viável economicamente e também rentável.

Velocidade

Poucas indústrias são tão rápidas com as Fintechs, em especial a BPP. Da concepção de uma idéia até o lançamento, nossa ‘expertise’ habilita o lançamento rápido de produtos.

Maturidade Digital

As empresas que possuem maturidade digital certamente tem maior capacidade para crescimento e sucesso, mas quais opções estas empresas tem para, de fato, se digitalizar?

Estamos vivendo em um mundo cada vez mais digital, impulsionado pelo distanciamento social causado pela Covid19. Esta digitalização está proporcionando diversos benefícios para todos na cadeia, em especial os consumidores.

Mas o que é transformar digitalmente uma empresa ou instituição?

Transformação digital é a adoção da tecnologia digital para transformar serviços ou negócios, por meio da substituição de processos não digitais ou manuais por processos digitais ou da substituição de tecnologia digital mais antiga por tecnologia digital mais recente.

Mas o que é “digital”?

As transformações digitais podem ser caracterizadas em quatro valores:

Modelos de negócio – novas formas de negócio;

Conectividade – engajamento em tempo real;

Processos – automação e agilidade;

Analytics – olhar para os dados e tomar melhores decisões;

Com o objetivo de auxiliar as empresas a alcançar esta maturidade digital, a BPP tem um conjunto de APIs oferecidas através dos produtos BaaS (Bank as a Service), que no final do dia são serviços financeiros que podem ser integrados e totalmente automatizados pelas empresas utilizando as APIs da BPP.

Segundo uma pesquisa da McKinsey, com 164 empresas, empresas líderes em maturidade digital no mundo apresentam desempenho superior com taxa de crescimento de EBITA até 5 vezes maior em comparação com outras empresas. No Brasil este índice é de até 3 vezes.

Como a BPP pode ajudar sua empresa a ter Maturidade Digital?

A BPP oferece um conjunto completo de APIs para impulsionar a digitalização das empresas. Algumas APIs oferecidas pela BPP são:

  • Payment Account – API para você realizar toda a gestão da sua conta pagamento digital (saldo, extrato, transferência etc)
  • TED – Para você automatizar o envio das TEDs através de APIs;
  • DDA – Você consegue obter a lista de todas as cobranças registradas no seu CNPJ e ordenar o pagamento;
  • Cobrança/Boleto – Para você registrar e emitir boletos utilizando arquivos (CNAB 400) ou API para registro online/realtime;

O lançamento mais recente é a API Pix Customer.

A API Pix Customer, permite que qualquer empresa, que tenha uma conta transacional aberta na BPP, automatize seus recebimentos, envios e cobranças utilizando o Pix.

Através de uma integração por APIs a empresa pode inicial ou evoluir sua maturidade digital e integrar seus processos internos com operações que envolvem Pix, sem a necessidade de utilizar nenhuma interface da BPP, tudo de forma transparente.

Isto significa que para enviar um Pix a empresa não precisa utilizar o Internet Banking da BPP?

Sim. De forma segura, com criptografia, troca de chaves e muito mais, os Pix podem ser enviados diretamente da aplicação da empresa, sem a necessidade de interação com nenhuma aplicação da BPP.

Com a API do Pix Customer sua empresa pode:

  • Enviar Pix (com ou sem chave Pix)
  • Gerar QR Codes Dinâmicos ou Estáticos
  • Decodificar QR Codes
  • Devolver Pix
  • Entre outras funcionalidades

Para maiores informações consulte bpp.com.br.

José de Carvalho Junior, Head de Produtos e Inovação da BPP.

Open Banking – Fase 1

Diretório

Para as instituições com participação obrigatória no Open Banking, existe um diretório onde estão todas listadas.

https://web.directory.openbankingbrasil.org.br/organisations

Dentro da organização, existem várias áreas para preenchimento. Uma delas é a parte de contatos.

Contatos

Não sei exatamente o motivo, mas para cada contato é solicitado uma chave pública pgp. Você sabe o que é isto? (detalhes aqui)

O que é BaaS?

Bank as a Service, não Backup as a Service, Backend as a Service, Blockchain as a Service etc.

Google Checking (conta corrente do Google), Apple Card, Chime, Monzo, N26 e até a Brex (fundada por Brasileiros), todos são exemplos de empresas criaram soluções utilizando BaaS.

Banking as a Service é uma plataforma de serviços financeiros que qualquer empresa pode utilizar para automatizar e acelerar seus processos, além de oferecer a clientes, fornecedores e até colaboradores.

Mas antes, o que é ‘aaS’?

Com a popularização da internet, várias aplicações, ou melhor soluções, deixaram de ser apenas um aplicativo instalado nas máquinas para se tornarem aplicativos consumidos através da internet. Para este movimento se dá o nome de ‘as a service’, traduzindo ‘como serviço’.

A diferença básica é que você não precisa instalar nada e já pode sair utilizando, basta utilizar um navegador na internet ou até mesmo um aplicativo móvel.

Com toda esta facilidade, vários modelos de negócios surgiram para aproveitar a velocidade trazida por soluções ‘como serviço’, e um deles é o BaaS.

O ‘B’ aqui é de Bank, ou melhor Banco.

Então o que é Bank as a Service, ou Banco como Serviço?

São todas as funcionalidades de um banco expostas para serem consumidas como serviço através da internet, sem a necessidade de instalação prévia.

Em outras palavras, esta solução permite que uma empresa ou instituição automatize seus processos de pagamentos, cobranças e até tenha seu próprio banco, de forma rápida e descomplicada. Como deve ser.

Quem pode oferecer BaaS?

Fintechs, Instituições de Pagamento ou financeiras que ofereçam modelos de contratação compatíveis com o que falamos até agora e, de preferência, tenham acesso direto, sem intermediários, aos principais sistemas financeiros do Brasil, ou seja, SPB, SPI, STR, CIP, COMP etc.

Para a empresa ou instituição contratante, o Banking as a Service faz o papel da instituição de pagamento e do emissor, se responsabilizando pelas operações, licenças, compliance, legislação, tecnologia e segurança – ou seja, por toda a parte regulatória e técnica, para que as empresas possam focar somente no que realmente importa: captar, se relacionar e fidelizar clientes.

O que é o PIX, o sistema de pagamentos instantâneos e como funciona?

O que é PIX?

Imagine você voltando de uma festa, 01h30, passa em uma conveniência, pega uma água, abre o celular, tira uma foto do QRCode que o estabelecimento te apresenta e ‘voilà’. De forma instantânea, você pagou e a conveniência recebeu o dinheiro em até 10 segundos!

Uma nova maneira de fazer transferências e pagamentos, de forma instantânea e que funciona todos os dias do ano, sem limitação de horário, nem valor.

Estas transferências e pagamentos, ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que propicia custos de transações menores.

O BACEN (Banco Central do Brasil), criou este novo arranjo de pagamentos para permitir a troca de dinheiro de forma rápida e simples.

Como assim?

Hoje, transferências entre contas são feitas através de TEDs ou DOCs e pagamentos são realizados por boletos, cartões ou com dinheiro físico.

O PIX passa a ser uma alternativa para transferir ou fazer pagamentos.

De forma resumida, PIX é uma nova opção de transferência de valores entre pessoas (físicas e/ou jurídicas), pagamentos de contas e boletos, recolhimento de impostos e taxas de serviços entre outras e também compras físicas ou online (ecommerce).

Como vai funcionar o PIX?

Hoje é assim:

TED (Transferência Eletrônica Disponível) – o dinheiro enviado será creditado na conta destino até as 17h do mesmo dia, sem limite de valor mínimo ou máximo;

DOC (Documento de Ordem de Crédito) – o dinheiro é creditado na conta destino no dia seguinte, com o limite máximo de R$ 4.999,99;

Ambos funcionam apenas em dias úteis.

Mas como será com o PIX?

As transferências podem ser realizadas 24 horas por dia, 7 dias por semana, em todos os dias do ano. Além disso, as transações são instantâneas, ou seja, o dinheiro enviado é creditado na conta destino em segundos,isto significa, ’em tempo real’.

As transações podem ser feitas, segundo o BC, das seguintes formas:

  1. Entre pessoas físicas e/ou jurídicas;
  2. Para entidades governamentais (impostos e taxas);

Para usar o PIX, será necessário que tanto o pagador (quem envia) quanto o recebedor (quem recebe) tenham uma conta transacional em um banco ou instituição de pagamento. 

Contas transacionais são: contas correntes, contas pagamentos (aqui está a BPP), conta poupança ou conta salário.

Como vou fazer as transações com o PIX?

As transações poderão ser realizadas da forma tradicional, com a coleta de dados do recebedor, exatamente como se faz o envio de uma TED hoje.

Além disto, poderão ser utilizados os seguintes meios:

  1. Chave de Endereçamento
  2. QRCode

Chave de Endereçamento

O PIX vai permitir que você associe sua conta a um email, telefone celular ou CPF/CNPJ. Com isto, você poderá realizar transações apenas informando um email e o valor (por exemplo).

QRCode

Também será possível, ler QRCodes para identificar o recebedor e, com isto, realizar a transação.

Os QRCodes poderão ser estáticos ou dinâmicos.

QRCodes Estáticos – são aqueles que estão impressos nos estabelecimentos e são válidos para múltiplas transações, neste caso quem envia informa o valor.

QRCodes Dinâmicos – são gerados para cada transação porque podem conter valores e códigos internos para identificação, ou seja, são mais adequados para pagamentos de compras.

Pagamento Digital vai Funcionar no Brasil?

Com o fechamento de várias lojas físicas e as restrições de mobilidade, impostas pela pandemia, as transações financeiras digitais se tornaram necessárias e em algumas situações fundamentais.

Mas como realizar transações financeiras digitais, se existem 50 milhões de desbancarizados no Brasil?

Independente da quantidade de pessoas sem acesso a pagamentos digitais, o Brasil, através da Caixa Econômica Federal, abriu cerca de 40 milhões de contas digitais para pagamento do auxílio emergencial. Ou seja, em alguns dias foram incluídos digitalmente, no sistema financeiro do Brasil, quase que toda a população da Argentina.

Vale lembrar que, segundo uma pesquisa da FGV, há hoje cerca de 230 milhões smartphones no Brasil.

Concluindo, população financeiramente digitalizada, transações financeiras realizadas através de smartphones nunca foram tão altas (segundo a Febraban), os pagamentos instantâneos chegando em Novebro/20 com o PIX, que vai auxiliar e facilitar a circulação digital do dinheiro e, por fim, mas não menos importante, vem o Open Banking, que deve iniciar em 2021. Tudo isto debaixo do guarda chuva do regulador, que estimula e promove um dos mais estimulantes e desafiadores ambientes financeiros de toda a América Latina e, quem sabe, do mundo. Portanto, pagamentos instantâneos tem tudo para ser um sucesso no Brasil.

E quem ganha com isto? Você!

Fintechs, Open Banking, BaaS e os Neo Banks

Durante um longo período da história da humanidade, acreditava-se que a Terra era o centro do universo, até que um cientista chamado Copérnico, desafiou esta noção e colocou uma visão alternativa que mudou a maneira como entendíamos o universo.

Mas qual a relevância disto para o setor bancário?

Comparo isto tudo com as crenças antigas (e até atuais) do setor bancário, onde bancos desejam todos os clientes, atender todos os segmentos, construir todos os produtos etc – isto tem mais probabilidade de serem destruídos em um futuro próximo, assim como Copérnico destruiu a crença de 1.500 anos.

Embora não exista definição para os Neo Banks, eles já existem em várias partes do mundo, na Europa, eles já detém 15 milhões de clientes, nos EUA os pequenos bancos históricos alugam sua licença e na Índia, com uma infraestrutura robusta e o regulador ativo, criaram um ambiente rico e estimulante para Fintechs, Neo Banks, Open Banking e BaaS e tudo indica que eles estão chegando em um ponto de inflexão.

Aqui no Brasil, resguardadas as diferenças com a Índia, veremos a entrada em produção dos pagamentos instantâneos, batizada de PIX. Uma infra estrutura robusta, criada pelo regulador, e que estimula a entrada de novos participantes no setor bancário, podemos chamar agora de Neo Banks ou até Fintechs, que irão dar inicio a criação dos mais variados produtos financeiros.

Em 2021, com a entrada do Open Banking, teremos um ambiente ainda muito mais descentralizado, que vai estimular ainda mais a criação de Neo Banks para Agricultura, Pesca, Caminhoneiros etc.

De fato, a intensificação de atividades de novos participantes em serviços financeiros, vai colocar, o cliente no centro do setor bancário, como deve ser.

O que é Open Banking e porque LGDP?

Na tradução literal Open Banking = Banco Aberto, também chamado pelo Bacen de Sistema Financeiro Aberto. Vou explicar.

Em outras palavra é um sistema bancário aberto, em que IFs, Fintechs e financeiras podem compartilham dados sobre produtos e informações financeiras.

O principal objetivo, é simples, permitir que cada um tenha maior visibilidade e controle da sua vida financeira, aumentar a agilidade no setor, além de expandir as opções disponíveis de ofertas e produtos.

A tecnologia utilizada para este compartilhamento é chamada de API, sigla de ‘Application Program Interface’ e que sejam APIs abertas – ou seja, ter esta tecnologia disponível para formentar a criação de um ecossistema de produtos e serviços financeiros. Claro, tudo isto de forma segura.

No Brasil, o Banco Central já começou a discutir este movimento e até compartilhou uma agenda para 2021.

Bacen e Regulação

Na Prática

Open Banking são APIs abertas que estão disponíveis para serem utilizadas por qualquer um. Um exemplo de APIs abertas, podemos considerar o Google Maps.

Os famosos ‘Social Logins’, já fazem este ‘compartilhamento’. O social login é aquele que permite que você entre em um sistema/aplicação, utilizando um login já existentes de alguma rede social (ex: Facebook, Google etc).

A proposta aqui é que o mercado financeiro tenha um modelo único de APIs abertas que vão permitir a integração de diferentes plataformas e infraestruturas tecnológicas das instituições participantes.

Vantagens

  • Liberdade
  • Menor Custo / Maior Eficiência / Melhor Experiência
  • Mais Competição / Concorrência

Isto significa que será possível fazer a inicialização dos pagamentos por uma instituição que eu não tenho relacionamento?

Sim. Será possível iniciar o pagamento a partir de uma instituição financeira ou de pagamento diferente daquela que você tem relacionamento.

LGPD

Lei Geral de Proteção de Dados, que entra em vigor em 2021, basicamente, estabelece normas sobre como as empresas coletam, processam, armazenam e destroem dados pessoais e sensíveis de seus clientes e usuários, com objetivo de melhorar a privacidade destas informações.

Ou seja, quando o Open Banking, entrar em vigor, as regras da LGPD já estarão em funcionamento, portanto, o compartilhamento de dados deverá se basear no uso autorizado, e explicito, do cliente, que poderá, a qualquer momento suspender esta autorização.